Compartilhe Facebook rss
São Paulo, 10 de Dezembro de 2018

Informativos





Porto de Santos terá investimentos de até R$ 5,3 bi, afirma Ministro


O Porto de Santos deve receber aportes públicos e privados da ordem de R$ 5,3 bilhões nos próximos anos. Neste valor, estão previstos investimentos condicionados à prorrogação antecipada de nove contratos de arrendamento de terminais do complexo e, ainda, os valores pagos pelas outorgas de três novos instalações que serão licitados em dezembro, no cais santista. Obras de infraestrutura portuária custeadas pela União também estão no pacote.

 

Os investimentos foram anunciados pelo ministro dos Portos, Helder Barbalho, quinta-feira(22), durante sua participação no 1º Fórum dos Órgãos Anuentes do Porto de Santos, um dos compromissos da autoridade durante sua primeira visita ao cais santista. O evento ocorreu na sede do Sindicato dos Despachantes Aduaneiros de Santos.

 

Desses R$ 5,3 bilhões, R$ 1,1 bilhão virão do pagamento das outorgas dos terminais que compõem o primeiro pacote de concessões do Governo Federal, cujos editais de licitação serão publicados na próxima segunda-feira. A expectativa é de que os novos arrendatários sejam conhecidos na primeira quinzena de dezembro.

 

As outorgas referentes aos três terminais que serão licitados em Santos devem somar R$ 640 milhões. Outros R$ 501 milhões virão do pagamento a ser feito pela concessão de uma instalação no porto de Vila do Conde (PA).

 

O ministro dos Portos garante que este montante irá para o Tesouro Nacional e ficará disponível para os investimentos portuários. No entanto, não há garantias de que os valores sejam investidos no complexo santista.

 

 

“Nossa expectativa nessa primeira fase, onde quatro áreas estarão sendo licitadas, três destas em Santos, com atividade de grãos e de celulose, é que possamos arrecadar em torno de R$ 1,1 bilhão. Este é o investimento voltado à iniciativa privada a partir das concessões”, destacou Barbalho.

 

O Planalto decidiu começar as licitações portuárias de Santos por três áreas. A medida foi tomada porque há lotes reunindo mais do que um armazém ou terminal, para que, quando licitados, possibilitem a implantação de grandes instalações, garantindo ganhos de movimentação em escala.

 

É o caso do lote que reúne três instalações no Corredor de Exportação, na Ponta da Praia. São elas os armazéns 38, XL e XLII (40 e 42 externos), que vão originar um terminal especializado na movimentação de granéis sólidos de origem vegetal. A expectativa é aumentar a operação dessas cargas na região, já que a unidade terá uma nova configuração.

 

Conforme o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, esta área receberá investimentos de R$ 296,8 milhões e 6,5 mil toneladas de mercadorias serão movimentadas por ano no novo terminal.

 

Outra área a ser licitada é o Armazém 32, com 31,5 mil metros quadrados no Macuco. O plano é que ele se torne um terminal de fardos de celulose e receba investimentos de R$ 143,6 milhões, que possibilitarão a movimentação de 1,82 milhões de toneladas de mercadorias por ano.

 

A mesma carga será operada em outro lote, localizado no Paquetá e formado por quatro áreas, dos armazéns 9, 10 e 11 e o pátio do Armazém 12. No total, o novo terminal terá 17,5 mil metros quadrados. A expectativa é de que 1,82 milhões de toneladas de cargas sejam movimentadas por ano no novo terminal.

 

Renovações

 

O titular da Secretaria de Portos (SEP) permanece até hoje na Cidade. Entre seus compromissos, Barbalho visitará seis terminais portuários, especializados na movimentação de contêineres e commodities. E algumas dessas instalações serão as responsáveis pela maior parcela dos investimentos anunciados quinta-feira(22) pela pasta.

 

Dos R$ 5,3 bilhões, pelo menos R$ 3,2 bilhões virão de investimentos privados realizados a partir de prorrogações de contratos de arrendamento. Segundo Barbalho, nove instalações do complexo pleiteiam a renovação antecipada de suas concessões. Pela regra, esses terminais devem apresentar um plano em que se comprometem a investir na instalação.

 

Obras civis e compra de equipamentos fazem parte dos investimentos, que devem ser viabilizados durante o novo prazo dado para a exploração da área. Até agora, a SEP prorrogou antecipadamente seis contratos de arrendamento, que somam investimentos de R$ 5,3 bilhões. Quatro são de terminais do Porto de Santos.

 

A Ageo Terminais em Santos se comprometeu a investir R$ 187 milhões na instalação, enquanto a ADM do Brasil fará aportes de R$ 207 milhões. Já a Copape aplicará R$ 295 milhões e a Libra Terminais investirá R$ 776 milhões.

 

O último terminal santista a ter o contrato renovado foi a Santos Brasil, que administra o Tecon, na Margem Esquerda (Guarujá). A empresa assumiu o compromisso de investir R$ 1,2 bilhão na instalação.

 

Infraestrutura

 

A SEP conta ainda obras como o alinhamento do Cais de Outeirinhos, o reforço de cais entre os armazéns 12A e 23 e ainda investimentos em dragagem de aprofundamento e manutenção do Porto de Santos, que somam R$ 1 bilhão, na lista de investimentos, de acordo com Barbalho.

 

 

“Compreendemos que o setor há muito aguardava a possibilidade para deslanchar ainda mais do que vem fazendo. Portanto, isso nos dá a confiança de que cumpriremos essa agenda”, afirmou.


(Fonte: Notícias do Porto - 26 de Outubro de 2015. Por Sérgio Nabuosuke)